A importância do leite para gestantes

juliana didone (2).PNG (243 KB)
(Foto: reprodução Instagram)

O consumo de leite é extremamente importante durante a gestação e lactação, estados fisiológicos com altas exigências nutricionais e quando a recomendação de ingestão de proteína, algumas vitaminas e minerais deve aumentar cerca de 50% ou mais.

Proteínas

A proteína láctea é conhecida por seu alto valor biológico e, por isso, é uma ótima fonte de aminoácidos essenciais, necessários para a síntese proteica nos tecidos fetais e maternos, durante a gravidez e a lactação, principalmente os aminoácidos essenciais de cadeia ramificada (valina, leucina e isoleucina), que favorecem a síntese proteica no tecido muscular.

O leite de vaca contém 30-35g de proteína/litro, e os produtos lácteos, como os queijos, contêm 15-35g de proteína/100 g, dependendo do processo de fabricação.

Cálcio

Além de proteínas, a inclusão de lácteos na dieta da mãe durante a gravidez e lactação ajuda a atender a demanda de cálcio e de outros nutrientes críticos nesses períodos, favorecendo o desenvolvimento fetal e neonatal, a proteção da massa óssea materna e proporcionando outros benefícios para a saúde da mãe e de seu filho.  

Foi provado que o consumo de grandes quantidades de lácteos durante a gestação também reduz os riscos de sintomas de depressão pós-parto, em função dos teores de cálcio e vitamina D.

As recomendações do mineral (1000 mg/dia para mães adultas e 1300 mg/dia para mães adolescentes) são muito difíceis de alcançar, a menos que sejam consumidos alimentos enriquecidos com cálcio ou, de preferência, alimentos naturalmente ricos nesse mineral e em uma forma altamente biodisponível, como é o caso dos lácteos. 

O consumo diário de três porções de leite ou produtos lácteos na dieta, como queijos e iogurtes, equivale a 80% do requisito de cálcio para uma mãe adulta, e 60% para as adolescentes. 

Zinco

O zinco também é um nutriente crítico nos processos de divisão celular, metabolismo hormonal, síntese proteica e função imunológica sendo, portanto, crucial durante o desenvolvimento fetal e do recém-nascido. O consumo de lácteos contribui para suprir as necessidades nutricionais deste mineral, durante a gravidez e a amamentação.

O leite de vaca contém, aproximadamente, 4mg/litro de zinco, os iogurtes, de 0,6 a 1,0 mg/100g, e os queijos, de 2,5 a 4,0mg/100g.

O consumo diário de três porções de leite e/ou produtos lácteos contribui para suprir cerca de 30% da recomendação da ingestão de zinco durante a gravidez (11-12mg/dia) e a lactação (12-13mg/dia).

Além da nutrição

Uma nova forma de utilizar o leite durante a gestação tem conquistado as mães brasileiras: o banho de leite. A técnica conhecida como “Milk Bath” tem um belo significado, seu objetivo é aumentar ainda mais, de uma forma pura, a ligação entre a mãe e o bebê.

A atriz Juliana Didone realizou um ensaio fotográfico do momento, que exibiu nas redes sociais com o seguinte poema em homenagem à filha:

“Deleite
de leite
na
criação
Gerar
Amor de gente
Mergulhar em profunda imensidão”

Não há dúvidas, o leite faz bem para a gestante, de todas as formas, em todos os sentidos!