É boa forma que você quer? Beba mais leite!

Por Flávia Fontes

comida_boaforma_obesidade_fome_leite_shutterstock_554364622.jpg (49 KB)

Obesidade é um grande problema de saúde pública, ainda sem tratamentos fáceis. Uma solução em potencial envolve o consumo de alimentos que aumentam a saciedade, reduzindo assim o apetite para refeições posteriores e ajudando na perda de peso.

Em um estudo recente, pesquisadores liderados por Leila Azadbakht, na Isfahan Universtity of Medical Sciences, no Irã, conduziu uma meta-análise de 13 triagens clínicas para determinar os efeitos dos produtos lácteos sobre a saciedade. Eles constataram que o consumo de mais de 500 ml de produtos lácteos reduziu, significativamente, a fome e aumentou, também de forma significativa, a saciedade, além de reduzir o consumo posterior de alimentos.

"Você tem uma sensação de saciedade e sente menos fome consumindo um produto lácteo do que um refrigerante ou algum outro produto", diz G. Harvey Anderson, da Universidade de Toronto, no Canadá, que conduziu pesquisas anteriores sobre lácteos e saciedade. "Epidemiologicamente, já foi provado, de forma consistente, que pessoas que consomem mais produtos lácteos têm melhor controle sobre o peso corporal, pois o apetite é reduzido", completa Anderson.

Produtos lácteos também parecem afetar os níveis de glicose pós-prandial, isto é, os níveis de glicose após uma refeição. “O que nós constatamos é que a glicemia pós-prandial, que é um importante aspecto do controle da glicose, é muito melhor após o consumo de leite do que de qualquer outra bebida que alguém possa consumir, e o mesmo efeito é conseguido com o iogurte ou o queijo”, afirma Anderson. 

Anderson destaca que o consumo de qualquer bebida que não seja água irá adicionar calorias à refeição, mas, no caso do leite, este aumento será minimizado pelos seus efeitos sobre a saciedade e glicose pós–prandial. 

Os mecanismos que determinam os efeitos dos lácteos sobre a saciedade ainda não estão claros. Estudos anteriores sugerem que o consumo desses alimentos pode afetar hormônios reguladores do apetite, como a grelina, ou neuropeptideos envolvidos com essa função. “Talvez a saciedade seja decorrente do próprio aumento dos hormônios intestinais, que produzem saciedade e também regulam a glicemia pós-prandial,” diz Anderson. “Os hormônios desaceleram o esvaziamento do estômago, o que significa que você também se sente mais satisfeito e acaba comendo menos,” ele diz.

Um outro mecanismo provável envolve a ativação de hormônios intestinais por peptídeos produzidos pela digestão das proteínas do leite, especialmente da caseína e das proteínas do soro. Anderson e seus colegas já haviam estudado os efeitos dos componentes do leite integral – proteínas, gordura, e lactose – e descobriram que as proteínas do leite tinham o maior efeito no aumento da glicose pós-prandial e na saciedade. “O surpreendente foi que o leite integral gerou mais saciedade do que a soma de seus componentes, evidenciando uma interação entre eles,” diz Anderson.

 “Nós também devemos nos lembrar que os produtos lácteos possuem vários nutrientes e muitos benefícios se comparados a um bocado de outras bebidas", finaliza Anderson. 

 

Flávia Fontes é médica veterinária, D.Sc. Nutrição Animal, editora-chefe da Revista Leite Integral, uma das criadoras do movimento #bebamaisleite e diretora científica da ABRALEITE