Leite de vaca pode prevenir úlceras gástricas induzidas por álcool

ulceras gastricas.PNG (1.20 MB)

Úlceras podem ser bem desagradáveis e, infelizmente, são bastante comuns, afetando mais de 10% da população mundial. Álcool, cigarro, estresse e infecções microbianas são conhecidos por exacerbar essas lesões.

O álcool pode ser especialmente prejudicial à mucosa gástrica. Ele aumenta a geração de espécies reativas do oxigênio e suprime a atividade de antioxidantes que desempenham um papel crucial na proteção do estômago.

Estudos mostram que produtos lácteos - como o iogurte - e certos componentes bioativos do leite podem ajudar a proteger a mucosa intestinal. Algumas pesquisas recentes descobriram que vários componentes do leite exibiram efeitos antiulcerativos protetores na mucosa gástrica em modelos de roedores. No entanto, existem poucos estudos em animais sobre os efeitos gastroprotetores do leite de vaca em si, particularmente contra o dano gástrico induzido por ácido e álcool.

Em um novo trabalho, o professor Hae-Jeung Lee e seus colegas da Gachon University, na Coreia do Sul, levantaram a hipótese de que o leite de vaca pode proteger a mucosa gástrica modulando enzimas antioxidantes e processos anti-inflamatórios. Eles testaram os efeitos protetores do leite integral de vaca disponível comercialmente contra úlceras gástricas induzidas por álcool acidificado em camundongos.

Os pesquisadores deram aos ratos 5, 10 ou 20 mL/kg de peso corporal de leite de vaca fresco comercial, uma vez ao dia, por 14 dias. Uma hora após a 14ª dose de leite, os camundongos receberam uma dose única de uma mistura de ácido clorídrico + etanol, com o objetivo de provocar danos gástricos severos.

O tratamento com etanol acidificado de fato causou danos gástricos severos em camundongos. No entanto, o pré-tratamento com todas as doses do leite de vaca preveniu significativamente a destruição estomacal induzida pelo álcool e, com a mesma intensidade, suprimiu a formação de lesões na mucosa gástrica.

O etanol acidificado aumentou muito a atividade estomacal da mieloperoxidase, uma enzima que pode servir como indicador de lesão da mucosa gástrica. Já o pré-tratamento com leite de vaca melhorou significativamente a atividade da mieloperoxidase. O etanol acidificado também inibiu enzimas antioxidantes, cuja atividade foi aumentada com o pré-tratamento com leite.

O pré-tratamento com leite de vaca afetou a atividade de vários fatores protetores gástricos, aumentando, por exemplo, os níveis de muco, o qual desempenha um papel importante na proteção da mucosa do estômago contra substâncias estimulantes (como o etanol acidificado). O pré-tratamento também aumentou os níveis de óxido nítrico, que é conhecido por mediar a proteção da mucosa gástrica.

Pesquisadores descobriram que o etanol acidificado aumentou significativamente a expressão de três genes associados à inflamação da mucosa. O pré-tratamento com leite de vaca diminuiu significativamente todos esses três genes, sugerindo que os efeitos anti-inflamatórios do leite de vaca podem ser mediados pela via de sinalização de uma proteína reguladora.

Esses achados sugerem que o leite de vaca tem um efeito protetor na mucosa gástrica e pode prevenir o desenvolvimento de úlceras gástricas causadas por ácido e álcool em camundongos. Este efeito protetor parece ocorrer por meio da modulação do sistema de defesa antioxidante e das enzimas anti-inflamatórias. Compreender os mecanismos pelos quais o leite de vaca protege contra danos gástricos poderia ajudar a encontrar novas maneiras de atenuar as úlceras gástricas.

 

Por Sandeep Ravindran em SPLASH!®milk science update: Edição de julho de 2018

Fontes:
1. Liu E.S., Cho C.H. Relationship between ethanol-induced gastritis and gastric ulcer formation in rats. Digestion. 2000;62(4):232-9.
2. Kim S.J., Kim J.M., Shim S.H., Chang H.I. Anthocyanins accelerate the healing of naproxen-induced gastric ulcer in rats by activating antioxidant enzymes via modulation of Nrf2. J. Funct. Foods. 2014 Mar;7(1):569–79.
3. Szabo S., Trier J.S., Brown A., Schnoor J. Early vascular injury and increased vascular permeability in gastric mucosal injury caused by ethanol in the rat. Gastroenterology. 1985 Jan;88(1 Pt 2):228-36.
4. Bode J.C. 1980. Alcohol and the gastrointestinal tract. Pages 1–75 in Ergebnisse der Inneren Medizin und Kinderheilkunde (Advances in Internal Medicine and Pediatrics). Frick P., von Harnack G.A., Martini G.A., Prader A., ed. Springer, Berlin, Germany.
5. Pan J.S., He S.Z., Xu H.Z., Zhan X.J., Yang X.N., Xiao H.M., Shi H.X., Ren J.L. Oxidative stress disturbs energy metabolism of mitochondria in ethanol-induced gastric mucosa injury. World J Gastroenterol. 2008 Oct 14;14(38):5857-67.
6. Alirezaei M., Dezfoulian O., Neamati S., Rashidipour M., Tanideh N., Kheradmand A. Oleuropein prevents ethanol-induced gastric ulcers via elevation of antioxidant enzyme activities in rats. J Physiol Biochem. 2012 Dec;68(4):583-92.
7. Uchida M., Kurakazu K. Yogurt containing Lactobacillus gasseri OLL2716 exerts gastroprotective action against acute gastric lesion and antral ulcer in rats. J Pharmacol Sci. 2004 Sep;96(1):84-90.
8. Gomi A., Harima-Mizusawa N., Shibahara-Sone H., Kano M, Miyazaki K., Ishikawa F. Effect of Bifidobacterium bifidum BF-1 on gastric protection and mucin production in an acute gastric injury rat model. J Dairy Sci. 2013 Feb;96(2):832-7.
9. Marshall K. Therapeutic applications of whey protein. Altern Med Rev. 2004 Jun;9(2):136-56.
10. Rosaneli C.F., Bighetti A.E., Antônio M.A., Carvalho J.E., Sgarbieri V.C. Protective effect of bovine milk whey protein concentrate on the ulcerative lesions caused by subcutaneous administration of indomethacin. J Med Food. 2004 Fall;7(3):309-14.
11. Carrillo W., Monteiro K.M., Martínez-Maqueda D., Ramos M., Recio I., Carvalho J.E. Antiulcerative activity of milk proteins hydrolysates. J Med Food. 2018 Apr;21(4):408-15.
12. Carrillo W., Monteiro K.M., Spindola H., Ramos M., de Carvalho J.E. Antiulcerative and antinociceptive activities of casein and whey proteins. J Med Food. 2018 Jun;21(6):605-611.
13. Yoo J.H., Lee J.S., Lee Y.S., Ku S., Lee H.J. Protective effect of bovine milk against HCl and ethanol-induced gastric ulcer in mice. J Dairy Sci. 2018 May;101(5):3758-70.
14. Ichikawa T., Ishihara K. 2011. Protective effects of gastric mucus. Chapter 1 in Gastritis and Gastric Cancer—New Insights in Gastroprotection, Diagnosis and Treatments. Tonino P., ed. In-Tech, Rijeka, Croatia.
15. Wallace J.L., Miller M.J. Nitric oxide in mucosal defense: a little goes a long way. Gastroenterology. 2000 Aug;119(2):512-20.
16. Kawaratani H., Tsujimoto T., Douhara A., Takaya H., Moriya K., Namisaki T., Noguchi R., Yoshiji H., Fujimoto M., Fukui H. The effect of inflammatory cytokines in alcoholic liver disease. Mediators Inflamm. 2013;2013:495156.
17. Sokolova O., Naumann M. NF-κB signaling in gastric cancer. Toxins (Basel). 2017 Mar 28;9(4). pii: E119