Pediatra Ana Escobar enfatiza a importância do leite durante a vida

O consumo de leite e derivados, e seus efeitos na saúde foram tema de um painel, apresentado no dia 25/11, no Tecnoagro, em Vitória (ES). A palestra contou com a participação da médica, professora da USP e comentarista do programa Bem-Estar, da TV Globo, Ana Escobar. Ela detalhou a influência do alimento de origem animal no organismo humano.

Os primeiros dois anos de vida são fundamentais para o desenvolvimento cerebral, como relatou a médica. Ela explicou que as proteínas do leite materno ajudam a formar uma camada, como uma gordura, que recobre parte dos neurônios. “Sem essa camada, as informações circulam pela cabeça do bebê a 4 Km/h. Com ela, a velocidade ultrapassa os 400 Km/h”, comparou.

De acordo com Ana Escobar, o leite materno tem a capacidade de fornecer células que se adequam a vários tecidos do corpo humano e as comparou com células embrionárias. Mas, como nem todas as mães conseguem fornecer este alimento para seus filhos, a indústria transforma o leite de vaca no alimento ideal para compor a dieta dos bebês.

“As fórmulas infantis produzidas pelo mercado são leite de vaca modificado às necessidades dos bebês”, esclareceu a palestrante, que também definiu o leite como o alimento mais fácil de ser introduzido na dieta das crianças.

Para a médica, não é apenas no começo da vida que os benefícios do leite e seus derivados podem ser observados. “É o único alimento que nos acompanha a vida inteira”, refletiu. Os jovens e os idosos são os que mais necessitam de cálcio, e o leite é a forma mais prática de compor a dieta destes grupos de indivíduos.

No caso dos idosos, a falta de cálcio pode provocar quadros graves de osteoporose, doença que aumenta a porosidade dos ossos, deixando-os mais fracos. “Pessoas com baixa ingestão de cálcio tem até três vezes mais chances de perder 10% dos dentes até o final da vida”, expôs a palestrante.

 

Anas.jpeg (207 KB)

Dúvida

A adição de agrotóxicos e outras substâncias que podem ser nocivas ao ser humano nos alimentos oferecidos ao gado foi um dos questionamentos feitos à palestrante pela plateia.

Em resposta, Ana Escobar expôs que é preciso conhecimento científico sobre o problema, para então afirmar que o leite apresenta alguma anomalia impactante à vida dos consumidores. “Até hoje não há nenhum trabalho científico que comprove que realmente há uma associação do leite a problemas de saúde”, argumentou a médica.

Outro ponto importante para a segurança alimentar é o entendimento dos problemas de saúde mais comuns referentes ao consumo do leite de vaca. Em determinado momento da palestra, a médica esclareceu que o que provoca a intolerância à lactose (o açúcar do leite) é a falta de enzimas digestivas no intestino.

Já a alergia à bebida, vem de um processo inflamatório, ocasionado pelo sistema imunológico do indivíduo, que reconhece a proteína do leite de vaca como um agente nocivo ao corpo.

Nestes casos, a recomendação de Escobar é sempre buscar o acompanhamento médico e as alternativas para suprir a demanda de cálcio no organismo, como a ingestão de outros alimentos ricos neste mineral, como o brócolis, o agrião, a aveia e a amêndoa, que é um dos alimentos mais concentrados.

A médica veterinária Ana Paula Menegatti, uma das idealizadoras do movimento #BEBAMAISLEITE, acompanhou a Dra. Ana Escobar ao evento.

Fonte: Gazeta Online