Projeto de lei quer proibir o uso da palavra 'leite' em produtos de origem vegetal

Da  Agência Câmara Notícias

leitedesoja_pixabay.jpg (118 KB)

A Câmara dos Deputados analisa Projeto de Lei (10556/18) que proíbe o uso da palavra "leite" em embalagens e rótulos de alimentos que não tenham como base o leite de origem animal. Pelo projeto, também serão exclusivamente reservadas aos produtos lácteos os termos: queijos e seus derivados; manteiga; leite condensado; requeijão; creme de leite; bebida láctea; doce de leite; leites fermentados; iogurte; coalhada; cream cheese; e outras admitidas em regulamento.

Autora do projeto, a deputada Tereza Cristina (DEM-MS) critica o fato de a palavra "leite" estar sendo utilizada não apenas quando se trata do líquido branco alimentício que é segregado pelas mamas de fêmeas de mamíferos, mas também quando se trata de qualquer suco vegetal branco ou esbranquiçado.

"Além de criar uma concorrência dos produtos de origem vegetal com os de origem animal, o consumidor é induzido a crer que, ao adquirir um produto de origem vegetal, está ingerindo alimento similar ao leite de mamíferos”, disse.

A deputada observa que na União Europeia a questão está regulamentada (Regulamento Europeu 1.308//13) e as denominações “leite”, “soro de leite”, “manteiga”, “nata”, “queijo”, “leitelho” e “iogurte” são de uso exclusivo de produtos lácteos.

O projeto de lei foi iniciativa da Abraleite (Associação Brasileira dos Produtores de Leite), que fez a solicitação à Frente Parlamentar da Agropecuária, no que foi atendida pela deputada Tereza Cristina.

Tramitação

O projeto será analisado conclusivamente pelas comissões de Defesa do Consumidor; de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Clique aqui para acompanhar a tramitação do projeto de lei.

 

 

Texto atualizado no dia 30.8.2018, às 9h07