Projeto de lei incentiva consumo de leite integral nas escolas

materia beba.png (334 KB)

Um projeto de lei apresentado no dia 29 de janeiro de 2019, no Congresso norte-americano, vai permitir que o leite integral seja inserido em programas de nutrição escolar do país. A inclusão do leite na merenda das escolas é reflexo de pesquisas que comprovam os benefícios para as crianças, além de ser mais uma ferramenta disponível aos gestores para desenvolver hábitos alimentares saudáveis na comunidade escolar, segundo afirma a Federação Nacional de Produtores de Leite (NMPF).

Como justificativa do projeto, os congressistas apontam que o leite é a principal fonte de nove nutrientes essenciais nas dietas dos estudantes. Ainda segundo os deputados, o consumo de leite tem diminuído nas escolas em todo o país porque as crianças não estão consumindo as variedades de leite que estão sendo disponibilizadas para elas. A expectativa é garantir maior variedade da bebida para que os alunos possam escolher o tipo que mais gostam.

A adição de leite integral aos cardápios da escola reflete pesquisas que mostram que tais produtos beneficiam as crianças e dão aos administradores escolares mais uma ferramenta para desenvolver hábitos alimentares saudáveis, segundo afirma a Federação Nacional de Produtores de Leite (NMPF, na sigla em inglês). "O leite integral fornece mais uma forma de as crianças receberem os benefícios nutricionais dos laticínios como parte de um padrão de alimentação saudável", disse Jim Mulhern, presidente e CEO da NMPF. "Este projeto incentiva a nutrição adequada de que precisam para levar uma vida saudável", completa.

A International Dairy Foods Association (IDFA), entidade representante da indústria de fabricação e comercialização de laticínios do país, também comemora a nova proposta.

Especialistas garantem que o projeto de leite vai garantir que crianças e adolescentes tenham mais acesso aos nutrientes que o leite fornece, como o cálcio, vitamina D e potássio.

 

Com informações do Farm Journal's MILK e site do deputado Glenn Thompson.