Você sabe a diferença entre intolerância à lactose e alergia às proteínas do leite?

img2_400x300.jpg (79 KB)
Apesar de ambas serem causadas pelo consumo de leite, a intolerância à lactose e a alergia à proteína do leite de vaca (APLV) possuem características, sintomas e tratamentos diferentes.
A alergia é uma reação do sistema de defesa do organismo às proteínas do leite (ex: caseína, alfa-lactoalbumina, beta-lactoglobulina). Já a intolerância é decorrente da dificuldade do organismo em digerir a lactose, açúcar do leite, devido à deficiência ou ausência de lactase, enzima que a digere.
Enquanto a intolerância pode surgir a qualquer momento, inclusive na vida adulta, a alergia (APLV) ocorre, geralmente, em bebês e crianças menores de três anos.
Tanto a intolerância quanto a APLV devem ser diagnosticadas por meio de testes laboratoriais, solicitados pelo médico.
No caso da intolerância, dependendo do seu grau de apresentação, pode-se optar pelo consumo de lácteos sem lactose, amplamente disponíveis atualmente, pela suplementação de lactase ou pela ingestão diária de pequenas quantidades de lácteos para estimular a produção de lactase pelo organismo. Os quadros de intolerância, principalmente nos bebês, podem ser transitórios, permitindo que o paciente volte a consumir lácteos após o final dos sintomas.
O único tratamento comprovadamente eficaz para a APLV é a dieta isenta das proteínas do leite, pois ao deixar de consumir o alimento que causa a alergia o sistema de defesa da criança não irá produzir as células e anticorpos responsáveis pela reação alérgica, possibilitando a remissão dos sintomas e o consumo de lácteos no futuro, na maior parte dos casos, a partir dos 3 anos de idade.